RELATÓRIO DA 1ª CONFERÊNCIA PRESENCIAL PARA LÍDERES DO FÓRUM PERMANENTE DE CULTURA POPULAR E DO ARTESANATO ALAGOANO.

0
112
Participantes da Conferência em passeio pelas águas da Lagoa Mundaú. Créditos: Bertrand Cristopher.

Aos Treze dias do mês de Fevereiro de Dois Mil e Vinte Um, ano de lutas e conquistas da cultura popular e do artesanato alagoano, às 9h30m, reuniram-se na Galeria Mulher Rendeira localizada à Rua Alípio Barbosa da Silva, 139, Pontal da Barra/Maceió-AL os líderes regionais do FOCUARTE. O evento que foi convocado com dois meses de antecedência teve como tema: “Nas cores do Artesanato e na folia da Cultura Popular: Vai meu povo!” Reunindo mais de setenta participantes vindos das regiões de Alagoas, a saber: Metropolitana, Norte, Vale do Mundaú (Serrana dos Quilombos – SEPLAG), Tabuleiros do Sul, Zona da Mata (Planalto da Borborema – SEPLAG), Vale do Paraíba (Tabuleiros do Sul – SEPLAG), Baixo e Médio São Francisco (Agreste – SEPLAG), Agreste, Médio e Alto Sertão. Estiveram presentes, mestres, brincantes, pesquisadores, instituições, artesãos, doceiros, produtores culturais, jornalistas, galeristas, artistas plásticos, fotógrafos e amantes da cultura. O momento teve como objetivo, o fortalecimento da identidade cultural, promovendo o conhecimento e intercâmbio de idéias entre os presentes. As atividades iniciaram com a “abrição de sede” realizada pelo Fandango do Pontal, de mestres do Guerreiro, Taieira, Reisado e Pastoril, em seguida João Lemos – coordenador do Fórum convidou todos para abrir os trabalhos fazendo uma justa homenagem a D. Zelina Sebastiana, rainha de Guerreiro desde 1947, após, houve a composição da mesa formada pelos seguintes participantes; Victor Sarmento – Diretor do Museu Théo Brandão (Maceió), mestre Jurandir Bozo – Coco (Pão de Açúcar), Cosmo Luiz Soares – Quadrilha Estrela do MAC (Delmiro Gouveia), mestra Regineide Rosa Lopes da Silva – Destaladeiras de Fumo (Arapiraca), Sérgio Ricardo Nascimento – Associação dos Artesãos de Penedo (Penedo), Diego da Silva Santos – produtor cultural (São Miguel dos Milagres), mestra Lucimar Alves da Costa – Chegança Silva Jardim (Coqueiro Seco) e Lucineide Barbosa – Galeria Mulher Rendeira (Maceió), os membros da mesa e demais participantes foram saudados por João Lemos e mestra Vânia Oliveira que em suas falas destacaram a importância do fazer cultural no Estado através da salvaguarda e empoderamento dos verdadeiros fazedores da cultura popular e do artesanato alagoano. Já na fala da mesa de abertura foi destacado o desejo e o sentimento de pertença por estarem ali reunidos vivendo aquele momento único de unidade e participação popular, os mesmos reforçaram a importância do FOCUARTE como articulador e difusor das tradições populares de Alagoas. Em seguida, cada participante se apresentou dizendo o nome, cidade e segmento que pertenciam, na continuidade dos trabalhos João Lemos chamou para frente os seguintes convidados, a saber: mestre José Edson de Lima (Zé Edi) – Guerreiro Campeão Vencedor de Anadia-AL, Célia Regina Ferreira Paiva – museóloga, Gigi Accioly – Jornalista, Felipe Guimarães – presidente do Conselho Municipal de Políticas Públicas de Maceió (CMPC) e Carlos Gilberto – produtor cultural, estes, participaram da roda de conversa que trouxe o tema: “Auto de Guerreiro – Patrimônio Imaterial de Alagoas: dificuldades, lutas e os impactos sobre os detentores”. No debate foram ouvidos muitos clamores, a dificuldade dos mestres, a falta de apoio, mas, sobretudo, as alegrias que os mestres têm em fazer parte do folguedo, houve destaque sobre a importância da democratização do patrimônio vivo, a proteção do patrimônio imaterial e material, a participação efetiva desses detentores nos Conselhos Municipais de Cultura, o registro e reconhecimento que muitos mestres ainda não têm. No tocante a pandemia foi dito sobre o esquecimento do governo com os detentores, muitos falaram sobre a dificuldade que estão tendo em viver. Após um longo debate foi encerrada a mesa com a entrega de presentes aos convidados, em seguida, João Lemos fez as orientações sobre o translado para o almoço no restaurante sol e mar e passeio de escuna até a foz da Lagoa Mundaú (participaram do passeio 40 pessoas), agradeceu e encerrou as atividades. Coordenou esta Conferência; João Lemos, mestra Vânia Oliveira e Sérgio Nascimento, equipe de apoio: Eliane Carlos, Jane Lúcia e Lailla Brito, logística: Josefina Novaes, Gisela Pfau de Carvalho, Cecília Rossê, kátia Dalpiaz, mestra Maria Helena Ferreira da Silva, Galeria Mulher Rendeira, Secretaria Municipal de Coqueiro Seco, de São Miguel dos Campos e do Pilar. Não havendo mais nada a tratar, eu, Jane Lúcia Ferreira da Silva, lavro o presente relatório que vai por mim assinado e datado.

Pontal da Barra, Maceió-AL aos 13 de Fevereiro de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui